fevereiro 23, 2006

The end of an affair

c9

- Please don't. Not without (he) art.
- A last one. Just for the Office.

janeiro 23, 2006

Amona lisa

Portugal é, agora, uma sala de chuto assistido.
Continua a chutar porque gosta mais de se alhear no acidente episódico do que empenhar-se num esforço oxigenado.
Chuta porque ignora que a sensação efémera que lhe traz o gozo frio do castigo é, em si mesma, um vício que incha quem castiga e seca a veia de quem aplaude.
Chuta na Sala de triagem da urgência do progresso prometido mas, como chuta sempre para trás, prefere esperar secretamente que a bola seja Oval e que, num capricho, escape ao guardião até bater na rede.
Chuta assistido, porque supõe ter direito a chutar com dignidade. E é assistido com ânsia para ver se se mantém chutando emprego a quem guarda as chaves da sala.
Ontem, de garrote tenso nos dentes, pressionou o êmbolo da seringa, só até ao primeiro esguicho. Hoje está já de agulha cravada. Esta injecção vai durar 10 anos.

A Loira recusou a metadona, que é um chuto disfarçado contra ventos e marés.

A adrenalina vem aí, por decreto selado.

Espera por mim na esquina

… Assim começou a minha história contigo, convosco, connosco.
Despeço-me, partilhando como sempre partilhei, o que uma brisa suave me sussurra ao ouvido, embalando os dedos.
Ainda e sempre o mar, reflectido em nós vaporosos que se desenrolam ao vento. Ainda e sempre as mãos, salgadas por não sei que lágrimas derretidas ao sol. Guardar-te-ei para sempre, na ponta dos dedos, fotografia digital.

???? - 2006

A noite veio e com ela o cacimbo frio na cama do desespero. Acordar sem ter adormecido.
Pecadores arrependidos viram-na deambular junto ao rio à procura de um consolo boémio. Dizem que trazia um saco com bolos ocos cobertos de calda de açúcar e um pacote de açúcar em pó. Aqueles bolos…
Sentou-se na cama oval, abriu o saco no colo, empanturrou-se, e de um golpe seguro, aspirou o pó. Até ao fim da linha.

House & Garden

Esqueçam o pequeno revisionismo que a cada 22 de Janeiro vai sonhar um novo 25 de Novembro, e agora é que o bochechas teve o que merecia, aquele malandro, quem o mandatou à pátria, teríamos sido nós, ainda estávamos era na nossa mocidade...
Esqueçam a agenda pequena que enviou o seu mais promissor aluno a estudar nos states, de onde mandou, por recado atlântico, que se apresentasse uma revista mensal como nova proposta de constituição portuguesa.
Esqueçam os provisórios a quem, por caridade, ainda não se disse que há uns adesivos de nicotina muuuito mais à frente.
Esqueçam os cartuchos de caça calibre 20.7, que a governanta afaga pensando nos animais ferozes, mas o diabo do velho aristocrata só atira à loiça, e ainda lhe cabe a ela ficar a varrer a varanda.
Esqueçam a cabeça do engenheiro a fazer congressos mentais.
O que verdadeiramente importa é o grito lancinante:


anões

- Joooorge! Já há anões de plástico no jardim!

janeiro 20, 2006

Diga vinte e dois # 16

Explicar as presidenciais em 2 lições:
2ª lição
"Serei o Presidente do Sim"


char_sirhumphrey

- Sim, sr. primeiro-ministro, é isso mesmo que está a pensar.

Diga vinte e dois # 15

Explicar as presidenciais em 2 lições:
1ª lição
"Serei o Presidente da esperança e da cooperação estratégica"


Kerre%20&%20Stew%20Marriage

Diga vinte e dois # 14

"O próximo domingo pode ser a oportunidade de transformar os sonhos em realidade. Não podemos permitir que os nossos sonhos continuem adiados"

Image6

janeiro 18, 2006

Diga vinte e dois # 13

E agora, o Hino Nacional...

BarcelosBandeira

"Grândola, vila morena
terra da fraternidade..."

janeiro 17, 2006

Humor franco

Alegre considera que se houvesse uma urna em Matosinhos ganharia as eleições.

janeiro 16, 2006

Diga vinte e dois # 12

"O Governo tem de estar inequivocamente ao serviço do bem comum, ao serviço de todos"
aviso

do Lat. ad + visu
s. m.,

acto de avisar;
notícia, novidade;
recado;
anúncio, participação;
conselho, advertência, admoestação;
conceito, opinião, juízo;
pequeno navio de guerra para descobrir o inimigo ou para troca de comunicações.

Finnish dream

"O resultado contradiz todas as sondagens dos últimos seis meses que lhe davam a maioria absoluta à primeira volta." - in DN, 2005.01.16
Disseram-me que o sonho de Sócrates é fazer de Portugal a nova Finlândia da Europa.

janeiro 14, 2006

Diga vinte e dois # 11

"Isto é muito bonito mas não merece que ninguém vá parar ao hospital", comentário sobre o "apoio esmagador" a Cavaco Silva.

Deseja começar a escolher?

CountryMap

A mim, nem a decência me cala...

Manuel Alegre, António Sousa Franco e Matilde Sousa Franco, a viúva aconselhada a evitar "fazer afirmações que não deve"

A vaguear por entre as ruínas e o trânsito do fim da tarde
As pessoas apressavam-se por causa do cair da noite
E o pobre homem
Seguia um destino sem rumo
Arrastando o seu cadáver
(Adolfo Luxúria Canibal)

República de arquivo

Image2

janeiro 13, 2006

Diga vinte e dois # 10

"Farei todos os possíveis para que o Governo possa completar o seu mandato. O Presidente, nesta hora difícil, tem de correr o risco de cooperar com o Governo", afirmou Cavaco Silva, candidato a Presidente da República, o orgão de soberania que pode demitir um Governo.

hyde

janeiro 12, 2006

Diga vinte e dois # 9

Alguns orgãos de comunicação social sempre foram isentos e politicamente equidistantes. Tudo o resto é um mito imaginário.

1caderno
O país deve um pedido de desculpas ao dr. Balsemão.

janeiro 11, 2006

SS 2014

Sempre tive um problema com homens de cabelo branco cortado ‘à escovinha’... que o Fernando vem agora confirmar.
Então estamos a fazer sacrifícios para nada? As reformas vão mesmo acabar ou ele é que quer acabar com o homem das reformas?

Diga vinte e dois # 8

"As pessoas, se calhar, até colocam esperança demasiada no Presidente da República", admitiu o candidato presidencial Cavaco Silva ao Diário Económico.

2dacae18-3dc8-4f97-97f6-7a4

Diga vinte e dois # 7

"É difícil os portugueses encontrarem explicações para que nos últimos cinco anos Portugal tenha feito marcha-atrás", afirmou o candidato apoiado por PSD e CDS-PP, referindo-se a um período maioritariamente governado por PSD e CDS-PP.

es.qui.zo.fre.ni.a sf Med (esquizo+ freno+ ia)
Psicose em que o doente perde o contacto com a realidade, e vive num mundo imaginário que para si próprio criou; substitui a antiga denominação de demência precoce.
Uma das primeiras formas pelas quais a doença se manifesta pode ser identificada pelo afastamento das relações interpessoais e uma atitude de distanciamento e desconfiança no relacionamento com os outros. Em alguns casos, esta desconfiança pode ser marcada nas relações com uma ou outra pessoa, que podem ser os familiares, os amigos, ou mesmo estranhos. O seu comportamento torna-se cada vez menos espontâneo, como se começasse a ter medo de que qualquer coisa esteja a mudar à sua volta e sentisse a necessidade de controlar e prevenir essa mudança. Por fim, teme sofrer modificações físicas e olha-se frequentemente ao espelho, com medo de que o seu corpo se transforme.

A palavra aos especialistas

A eleição de Cavaco Silva pode criar "sarilho institucional". "Se ele for eleito, as pessoas ficam sem saber quem manda no país - Cavaco Silva ou José Sócrates".
Disse-o Pedro Santana Lopes. Entre muitos outros predicados, é indiscutivelmente a maior autoridade conhecida a reconhecer o que são sarilhos políticos, todo o seu legado de vida. Depois não digam que o homem não avisou.

janeiro 10, 2006

Lembrete

A Loira também não esquece as palavras do Professor Cavaco num comício há uns anos no Alentejo quando disse que ‘os alentejanos podiam ser tão bons como os Portugueses’.
Talvez por isso nos ande a tentar convencer que deveríamos ser tão bons como os Espanhóis. Se o Cavaco é português, então eu quero ser espanhola. Pim, pam, pum.

Altos patrocínios

Era para nem se ter lançado na corrida.
Não tinha e não queria patrocínios, além do de Maria.
Assim começou Aníbal, depois de uma longa travessia do deserto.
E o deserto não esquece…

Diga vinte e dois # 6

"Prometo fazer tudo o que estiver ao meu alcance para ajudar os jovens"

Image1

Diga vinte e dois # 5

"Apresento-me a título pessoal, mas também sabem que beneficio do apoio do PSD e de um outro partido"

background

janeiro 09, 2006

Diga vinte e dois # 4

"Tenho a sensação que apostei mais no diálogo, na concertação social do que o Governo, pelo menos até aqui"

IMG000002125

Diga vinte e dois # 3

"Farei ouvir a minha voz se notar ou tiver indicações de que o Estado, para alguns, seja um servidor de clientelas. Nesse caso não ficarei calado"

ccc

Reformados e funcionários públicos vão passar a receber em gráficos e folhas de cálculo

"Não se paga salários aos funcionários públicos e aos políticos, nem pensões aos reformados com a hipotética cultura dos que dizem conhecer os Autos de Gil Vicente, as redondilhas de Camões ou os sonetos de Antero", justificou o economista Medina Carreira, mandatário do economista Cavaco Silva.

janeiro 06, 2006

Diga vinte e dois # 2

"Os portugueses querem que os que são nomeados para altos cargos da administração sejam nomeados pelo seu mérito e não pelo seu cartão partidário ou por razões de amizade ou interesse"

Image1

Onde fica o botão?

Como se desligam estas imagens sempre iguais que nos invadem a casa sem pedir licença? Dou-me conta que sei pelo menos o nome de 5 cidades iraquianas, que já reconheço a paisagem e as caras dos civis que sucumbem todos os dias naquelas ruas de terra batida.
Alguém sabe voltar atrás? A natureza novamente defraudada, as mortes assinadas por um ditador tornam-se de repente menos negras do que aquelas que levam a chancela do poder externo.
Entretanto, Sharon definha e todos rezam pela alma do grande pacifista. O mundo não passa sem um muro. É a arte, estúpido!

Diga vinte e dois

"São os portugueses e muitas vezes o povo simples que, dirigindo-se à minha sede, dizem que querem ajudar"

salvador

janeiro 05, 2006

Bonnie & Clyde

Image1

Série candidatos presidenciais entrevistados de espingarda ao ombro

janeiro 04, 2006

Balanço com demasiada força

O Presidente da República, Jorge Sampaio, prestou homenagem ao papel das embaixatrizes no trabalho de representação dos Embaixadores.
- Eu próprio tenho procurado ajudar o mais possível a minha mulher - sublinhou.

Editorial do editorial

Da agenda do dia, a alegada falta de isenção de alguns grupos de comunicação social na cobertura política, tentemos acertar no essencial. Nenhuma democracia hipoteca a sua maturidade quando os orgãos de comunicação social assumem lados da barricada. Carmo e Trindade continuarão de pé por muito que lhes escrevam nas paredes. A maturidade dá-se prova assumindo ao que se vem. E aqui, o essencial, a distinção do nosso nobre jornalismo é a gelatina envergonhada e púdica de não o fazer. Porque não se deve comprometer a praia para onde será soprada a próxima onda. Ponto e fim do editorial. Agora, o editorial, stupid...

janeiro 02, 2006

passas cristalizadas

Lisonjeado com o espectáculo em sua honra, Cavaco Silva referiu que a canção (homenagem de um apoiante de Silves) talvez fosse "excessivamente elogiosa", ao apontá-lo repetidamente como um homem "inteligente" e "competente" - In Lusa.

dezembro 30, 2005

Prémio Loiro do Ano

Para o Superministro Diogo Freitas do Amaral, por ter sobrevivido tanto tempo, por ter salvo um traficante de drogas e um toxicodependente, por ter conseguido trazer o Aga Khan a Portugal.
É a política externa portuguesa de regresso ao esplendor e a glórias de outrora.

Prémio Loira do Ano

And the Oscar goes to...
Teggy Caeiro-Mouse, por dar vida a mais um aborto pró-americano.

dezembro 29, 2005

A loira à escuta

Oh meus senhores! Então não se destaca mais um texto excelente, como sempre, do acidental Luciano Amaral no Diário de Notícais? Querem ver que andamos ainda à procura do bolo-rei mais saboroso...

dezembro 28, 2005

Não coma, professor, não coma!

Image1

O renascer da lendária cultura do ‘ver para crer’

Há pessoas assim que, quando vão para uma entrevista e não lhes dão as perguntas com antecedência, têm rasgos de espontaneidade que, uma vez passado o crivo dos assessores, se apressam a desmentir na próxima aparição pública.

Quem não tem o dom da ubiquidade nem a veleidade de acompanhar in loco tudo o que possa vir a ser notícia, terá que se ir habituando à ideia de que a televisão – além das suas sacrossantas memórias biográficas, claro - é o único médium em que se pode confiar quando se tratar de supostas notícias sobre Cavaco Silva.

Como bom Presidente que quer ser, mais próximo do povo analfabeto que somos, Cavaco já deixou o mote. Rendamo-nos, pois, ao facilitismo atordoante da televisão e dos reconfortantes ‘eu nunca disse isso’.

Caixa negra

Não descansam enquanto não as encontram e, uma vez encontradas, parecem não servir para nada. Nunca ouvi um único relatório sobre o seu conteúdo. Começo mesmo a desconfiar que não passam de mais uma daquelas invenções humanas que só servem para desangustiar, para nos dar a sensação de que tudo é controlável.

Numa noite mal dormida, sonhei com caixas negras lançadas ao mar, caixas negras que encerravam tudo o que nunca consegui dizer sobre a injusta justiça dos homens, sobre arguidos e presumíveis inocentes, providências cautelares, recusas de juízes, prisões preventivas, prazos, recursos, mais prazos, e mais recursos. Com a mediatização de processos judiciais, um homem transforma-se, malgré lui, em perito destas coisas.

Recordo-me de ter escrito numa dessas caixas negras, como que para justificar a ausência de palavras quando o silêncio era atitude proibida. Do que escrevi pouco me lembro, a não ser da confiança depositada em quatro paredes para que transmitissem ao verdadeiro destinatário as palavras que enfim libertei sem receios.

Até ao teu regresso é natal

Natal atípico, sem regresso à terra, ao musgo fresco, à lareira, ao cheiro a flor de laranjeira. Frente ao mar, sem luar.
De repente o teu regresso, tu que partiste num telemóvel roubado, numa tarde abrasadora de Verão. Tu e as nossas conversas de quinta de manhã, tu e os teus 'miúda' com ar paternalista.
Enfim revelada a utilidade daquelas mensagens de grupo que se enviam quase por obrigação.

Post-it

Leva-me contigo.
Quero-me perder nas dunas do teu corpo, no calor da tua boca.
Sentar-me à sombra das estrelas da tua pele, matar a sede no orvalho dos teus olhos.
Derreter o frio no fogo do teu abraço.
Manda a lua avisar-me da hora da partida e leva-me contigo.

dezembro 27, 2005

Em cooperação estratégica

Nuno Morais Sarmento e Rui Gomes da Silva defendem a criação de um secretário de Estado para acompanhar as entrevistas do professor aos jornais.

É todo um jornal de notícias

cantigas

dezembro 23, 2005

Revelação: Cavaco ambiciona a Presidência para poder escrever n' A Bola

Depois das duas primeiras ideias místicas:
1)
"Portugal foi ultrapassado pela Grécia"

2)
2%2C4x1%2C7%202VAGA.0

A peça final do puzzle:

3)
"Houve uma altura em que havia espírito vencedor. Lembra-se de quando o Carlos Queiroz e os seus jovens foram campeões do Mundo?"

dezembro 20, 2005

Out of the door

Cavaco Silva desvaloriza debates e diz que "os portugueses já estão esclarecidos".

kenny

"esclarecidos"
"esclarecidos"
"esclarecidos"
"esclarecidos"
"esclarecidos"
.

Coisinha boa, a pequenada

sem título

'João Almeida, reeleito para um quarto mandato como presidente da Juventude Popular, afirmou que quer conquistar a geração que vê a série Morangos com Açucar' - in Público.

dezembro 19, 2005

Memento homo

Uma palavra de agradecimento para o nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros que arrecadou para o país uma quantia considerável nas próximas perspectivas financeiras da UE. Senti a sua ausência no recolher dos louros…
Freitas fez a fita, os Ingleses lá acabaram por ceder. Muitos outros fizeram fita e os Ingleses acabaram por ceder. Ou não.
Salvou-se a UE. Salvou-se também o cheque inglês por mais três anos e criaram-se dois novos cheques, para Holandeses e Suecos.
Sem acordo, teria provavelmente sido o fim de um certo projecto europeu, disso não duvido.

dezembro 15, 2005

Eu estou aqui

A obra com as reflexões dos dois mandatos de Sampaio em Belém irá ser relançada, em versão aumentada para 3.721 páginas, um DVD de karaoke e dois toques de telemóvel.
Face à pouca visibilidade da primeira cerimónia na Gulbenkian, este relançamento será efectuado no cimo do Cristo-Rei, em Almada, e assumirá um sentido literal.
Após ler o primeiro parágrafo, Marcelo Rebelo de Sousa irá lançar-se em voo, tentando mergulhar no Tejo. Durante a descida, o professor conta fazer a leitura comparativa de duas páginas ao acaso e de memória.
O objectivo da iniciativa é que desta vez os portugueses reparem mesmo que Sampaio está a deixar a Presidência da República. Se não resultar haverá um CD de Natal.

A melhor associação de ideias do ano (até hoje)

"Parabéns à SIC/Notícias. (...) Foi a ver a SIC/Notícias que muitos assistiram em directo ao embate do segundo avião contra as torres gémeas de Nova Iorque."
Parabéns ao estimado Paulo Pinto Mascarenhas. Difícil de bater, mas não impossível. Atenção, já só faltam 16 dias!

Tempestade num quadradinho d'água

- A minha confusão não é a candidatura... aliás... eeehhh...
- Um copinho de água, dr. Alegre? Um copinho de água? Helena!
- EU É QUE DOU! EU É QUE DOU!
- ÁGUA?! Quem é que falou em ÁGUA? Querem lá ver que vou ter de usar todos os meus poderes...
- Calma, dr. Alegre, calma. Pense QUADRADO... inspire... QUADRADO...

Insólito

Roubaram o PC do líder do CDS.
No entanto "Ribeiro e Castro faz back-up de tudo", sossega Martim B-o-r-g-e-s de Freitas.
In Correio da Manhã, 15/12/2005

dezembro 14, 2005

Natal dos Hospitais

Anita Matrona de Boliqueime 0 - Anushka Operária e Prostituta portanto 1

A, B, Sexo

- O homem e a mulher não estão um atrás e outro à frente, estão ao lado um do outro...
- Sr. Silva...
- Oh dra. Marta, isso é um dado adquirido. Está na Constituição.
- Bem, sr. Silva, vamos lá a ver isso...

dezembro 13, 2005

Por falar em festas...

Para noites frágeis:

Érika-Amoreiras lindissima corpo escultural alto nível privado estacionamento.

ou

Marta africana de sonho! exótica... sensual... 23 A... luxo! comprove! ?

Canção de Lisboa

Terça, quarta, sexta.
E domingo sempre em festa.

dezembro 10, 2005

O mar sem ti

Mar picado, tempestade de sal. Palavras amargas, temperadas ao sabor da maré em encontros adiados sob o sol de Inverno.
No cais, presença ausente de quem sente o fim.
No mar sem ti.

dezembro 06, 2005

Amigável pela Paz no Mundo

Iceland 0 - Joyland 0

God bless America, always

Tenho andado a ler uns artigos extraordinários que defendem os métodos de tortura da CIA. Os argumentos são básicos, podendo resumir-se ao bíblico olho por olho, dente por dente: estivéssemos nós nas mãos de terroristas sanguinários, não teríamos qualquer tratamento especial. Afinal, aquilo é tudo para nosso bem, ou não encarnassem os EUA o Bem Supremo. Assim se poupam muitas vidas civis, sobretudo europeias, ao que parece.
Vêem-me à memória comparações hitlerianas facilitistas, técnicas consagradas de eugenismo e soluções finais para a SIDA. Mas limito-me a perguntar onde param os direitos humanos nesta defesa do indefensável.

Ainda a pérfida Albion

Contra algumas expectativas de corredor, Freitas do Amaral convoca uma conferência de imprensa para esclarecer que, da leitura superficial da proposta britânica para as perspectivas financeiras da UE, ressalta uma injustiça flagrante. Segundo ele, desde Abril que tem vindo a praguejar contra os pérfidos que querem tirar os fundos aos pobrezinhos portugueses. Momentos houve, porém, que parecemos satisfeitos com as dádivas luxemburguesas… Adiante.
À comitiva portuguesa junta-se agora José Manuel Barroso, o renegado. Achará ele que na era da globalização ninguém percebe o que ele diz em Português e que pode tecer aqueles comentários ao seu amigo Blair em público?
Conseguimos, ainda assim, ser citados pelo Ministro Straw. Vitória ou humilhação?

dezembro 05, 2005

Essa é boa!...

Quem é que me explica este súbito consenso nacional politicamente correcto de que os debates televisivos entre os candidatos presidenciais não têm influência no desfecho das eleições? Não têm desfecho nas eleições? O que tem efeito, então? Ver quem grita mais alto que quer unir os portugueses? Que estamos num período depressivo do regime e das instituições e que é preciso injectar ânimo ou estima nas pessoas e confiança e credibilidade no sistema?

Não há nenhuma outra eleição que tanto dependa do confronto personalizado entre as propostas apresentadas. Interessa, certamente, a comparação de projectos, de ideias e de respostas. Mas perceber os sinais que nos são transmitidos em simultâneo, no mesmo local e nas mesmas condições, por dois dos candidatos é, tem-no sido desde que há democracia, fundamental nas escolhas dos eleitores.

As últimas campanhas (de todo o género) têm tentado acompanhar este facto modernizando-se: troca-se o papel dos panfletos pelas sms e aposta-se sobretudo no trabalho de imagem e na personalização dos projectos.

E sejamos claros: se um debate não é clarificador, de três uma: ou os candidatos não conseguiram difundir a mensagem, ou a mediação fulanizou o diálogo, ou a mensagem é a mesma entre os dois.

Duas ideias. Primeira: as pessoas não têm disponibilidade para campanhas (ainda por cima para campanhas que se sucedem a um ritmo frenético) e concentram os esforços das suas escolhas na tv e em debates – estão no seu direito e o que é preciso é orientar o debate político para esse meio. Segunda: se tudo o que disse acima for mentira então amanhã ninguém gastará página de jornal a analisar o debate nem cavalgará a onda da descolagem da candidatura de Manuel Alegre porque o Professor Silva salivou dos cantos da boca e não ganhou por Knock-out.

novembro 29, 2005

Novela dos dias que correm

Imagine uma cena no Chapitô num fim de tarde entre Abril e Agosto em que um casal, à primeira vista de estranhos, fita o Tejo sem falar. Imagine também que ela está em pulgas para o ouvir pedi-la em casamento e ele mortinho por sair daquela cena. Imagine ainda os seus diálogos cerebrais:
Ele, olhando-a com aquele ar de quem não percebe o que está ali a fazer: O que tu queres sei eu…
Ela, doida por ouvir o pedido: Estes sinais, a perna a tremer, a mão a segurar a cabeça… É hoje, não tenho dúvidas.
Ele, descruzando a perna e coçando o lábio: Tenho que me despachar a beber este whisky.

Já alto e bom som:
Ele: Desculpa, não aguento mais. Queria…
Ela: ...eu também não…mas diz, diz.
Ele: Queria que me ajudasses a organizar uma festa simples para o meu casamento.

Bomba. Acham que ela ajuda? Acham que ela não vai contar às amigas e às revistas todas que era ela a eleita, a mulher da sua vida, e que afinal ele vai casar com uma paixão antiga qualquer? Acham que ela não aparece no dia do casamento vestida de branco imaculado?

Agora pare, rebobine tudo e imagine um Primeiro-Ministro algo autoritário a falar com um poeta de Assembleia algo sonhador.

Agradecimento Sanex

Chegado o mês de Dezembro, começam a escassear bens de primeira necessidade nos Ministérios, como o material de economato ou o sabonete líquido para as mãos. Aproveita-se o papel reciclado, esquece-se a folha dupla, adopta-se o sabão azul e branco.
Este ano descobri a responsabilidade social das empresas e o sabonete líquido voltou. Agradecimento geral a quem merece, sobretudo pelo efeito surpresa.