janeiro 09, 2006

Reformados e funcionários públicos vão passar a receber em gráficos e folhas de cálculo

"Não se paga salários aos funcionários públicos e aos políticos, nem pensões aos reformados com a hipotética cultura dos que dizem conhecer os Autos de Gil Vicente, as redondilhas de Camões ou os sonetos de Antero", justificou o economista Medina Carreira, mandatário do economista Cavaco Silva.