abril 26, 2005

Não há surpresas grátis

Aos que acorreram a exaltar a vitória de Ribeiro e Castro e a desconcertante e súbita descoberta do seu carisma, como o triunfo aconchegante da discussão de ideias sobre a tradicional lógica aparelhística, refutando, de caminho, a ideia de um CDS/PP prisioneiro de um recente unipessoalismo, não é que não tenham percebido nada. As Portas mais óbvias nem sempre são as que se prestam a melhor receber velhas chaves, no regresso.