fevereiro 16, 2005

Saudade



‘Sinto-a, com latitudes diferentes. E em proporções distintas. Mas sinto-a. E basta uma palavra tua para a despertar. O texto? O texto é nada comparado com o que podia ser dito. Mas também nunca fomos bons em palavras. Só nas trocadas em silêncio e no meio de sorrisos cúmplices...’
In Memórias da Minha Rua