janeiro 25, 2005

Regeneração

(...)Na noite dos sobressaltos, fechei os olhos e adormeci-me como te queria. Como era suposto ser, acariciando-te a tormenta das feridas que importava ter-te infligido, nunca lhes encontrando o sabor. Nunca as encontrando. E então poderia tolerar-te a indiferença dos dias do... - amor, o que sentes quando sabes que vais terminar uma vida? Frio?
- Não o mesmo que sinto contigo. E sim, gosto-te da nudez.(...)

In Memórias de um atirador furtivo com falta de vista. O melhor. Turvava a execução mas não a procura da saudade.