janeiro 25, 2005

Matildinha



Conheci a Matilde de Sousa Franco como professora há uns anos atrás. Sempre a achámos um bocadinho ‘tonta’ pela ingenuidade com que fazia algumas sugestões para o fim-de-semana (género ‘aproveitem e vão ver uma exposição maravilhosa a Nova Iorque...’). Mas dominava o que ensinava. That’s a fact!
Vendo-a agora, exposta aos mais canibais desejos dos senhores jornalistas (e não só), não posso deixar de esboçar um sorriso e pensar: ‘que vai ser feito com ela agora?’. Ainda que seja muito discutível a indicação do seu nome para cabeça-de-lista de um distrito, tenho a certeza de que terá um excelente desempenho e só lutará por aquilo em que, de facto, acredita. Não se deixará enredar em lutas lamacentas aparelhísticas. Quando isso acontecer, ela sairá pelo próprio pé. Não precisa disso para nada. Ela é, como poucos os que estão agora na actividade partidária, genuína. Acredito e confio nela.