janeiro 20, 2005

Gaffes queixam-se de Santana à Inspecção Geral do Trabalho

- É inacreditável que não se faça cumprir a lei. Somos obrigados a cargas de trabalho desumanas, não temos fins-de-semana e nem vou falar de férias. Abram os olhos para os direitos de uma classe profissional que exige ser respeitada. Assim não dá. Se nada se alterar partiremos para um paralização de três dias e depois quero ver virem acusar-nos de boicotar a campanha eleitoral.